• ALLA

Autores - Fiódor Dostoiévski


Moscovo, 11 de novembro de 1821 - S. Petersburgo, 9 de fevereiro de 1881

Imagem de retrato a óleo de Fiódor Dostoiévski pintado por Vasily Perov
Retrato de Fyódor Dostoyévsky, de Vasily Perov, 1872. Óleo sobre tela. Galeria Tretyakov, Moscovo


Comemora-se, este ano, o bicentenário do nascimento de Dostoiévski, insigne escritor russo do século XIX, autor de inúmeras obras, de entre as quais se destacam Crime e Castigo e Os Irmãos Karamázov, obras primas da literatura universal.


"O escritor russo Fyódor Mikhailovich Dostoiévski foi um jornalista e escritor prolixo ao longo da sua vida, permanecendo famoso pela profundidade psicológica e estrutura dramática dos seus romances. Seu pai, Mikhail Andreevich, cirurgião militar com origem nobre e uma reputação de alcoolismo e violência, teria sido assassinado pelos seus próprios servos na sua pequena propriedade ao sul de Moscovo, em 1839. A mãe de Dostoiévski, gentil e religiosa, Maria Fedorovna Nechaeva, era descendente de comerciantes de Moscovo. O jovem Dostoiévski e o seu irmão mais velho, Mikhail, frequentaram a Escola de Engenharia Militar de S. Petersburgo, mas ambos mostraram desde cedo uma preferência pela literatura e pelo jornalismo. Depois de um ano obrigatório de serviço após a formatura, Dostoiévski renunciou e dedicou-se à cena cultural de Petersburgo, inicialmente como tradutor. Com a publicação de seu primeiro romance Pobre Folk (1846), tornou-se uma espécie de celebridade da noite para o dia. Críticos de esquerda influentes e escritores como Vissarion Belinsky e Nikolai Nekrasov saudaram o jovem escritor como o "próximo Gogol" da Rússia.


Dostoiévski seguiu com a novela vincadamente gogoliana, mas menos sociológica ou realista, O Duplo (1846), uma obra que inspiraria gerações de escritores e poetas, bem como a escola formalista de teoria russa, mas que foi menos bem recebida na época. A produtividade literária posterior deste período foi interrompida pela prisão e exílio. Como muitos jovens da sua época, Dostoiévski era membro de um grupo de leitura de tendência radical, que se reunia para discutir males sociais e literatura proibida, como as obras socialistas utópicas de Charles Fourier. Em 22 de abril de 1849, todos os membros do chamado Círculo de Petrashevsky foram presos e condenados à morte. Dostoiévski foi interrogado, condenado e conduzido perante um pelotão de fuzilamento, apenas para ser teatralmente perdoado no último minuto por Nicolau I. Após a comutação da pena, foi enviado para a Sibéria, onde cumpriu quatro anos de trabalho na prisão, seguidos por mais cinco anos de serviço militar no exílio. Voltou a S. Petersburgo em 1859, ansioso por mergulhar na polémica pública da era da reforma. Ele e o seu irmão Mikhail fundaram duas revistas - Time (1861-3) e Epoch (1864-5) - que propunham a doutrina de pochvennichestvo, fortemente influenciados pelos dez anos de servidão penal e exílio de Dostoiévski, que instava os ocidentais russos educados para retornar a voltar ao seu solo nativo (pochva) e à autêntica cultura russa preservada pelas massas. Enquanto nobre na prisão, Dostoiévski foi dolorosamente exposto ao ódio de classe dos seus companheiros de prisão, uma experiência que ele contou no seu romance semiautobiográfico, Notas da Casa dos Mortos (1860-62), que publicou na Time. Simultaneamente descobriu a força espiritual entre os presidiários. Os camponeses russos passaram a encarnar para Dostoiévski um repositório de sentimentos e valores morais, cristãos genuínos, que poderiam enriquecer, se não transformar, toda a nação. Ele acreditava que a emancipação dos servos (1861) iria curar a profunda divisão entre a minoria educada da Rússia e os camponeses, criando assim as condições para o surgimento de uma nação russa forte. Os seus romances dissecaram as vertentes do pensamento socialista utilitarista, radical e utópico, que "infectou" a Rússia, bem como qualquer outra coisa que parecesse imitar ou derivar do Ocidente.


As quatro grandes obras-primas de Dostoiévski, romances de assassinato, foram escritas de 1866 a 1880. Crime e Castigo (1866) é o primeiro deles, trata de um crime de morte por ambição pessoal. O Idiota (1868) culmina num homicídio por ciúme sexual. Os Demónios (1872) é baseado num assassinato histórico real, cometido por uma célula política radical e pode ser considerado um retrato estilizado do terrorismo russo do século XIX. Os Irmãos Karamazov (1880) de proporções épicas, explora a culpa compartilhada que leva a um parricídio. A maioria das suas obras foi publicada em série, em revistas grossas e com prazos urgentes.


Durante sete anos, Dostoiévski foi um jogador compulsivo e, a certa altura, quase perdeu os direitos de todos os trabalhos futuros para o seu editor. Para trabalhar e ganhar dinheiro mais rapidamente, começou a redigir rascunhos oralmente, com a ajuda de uma estenógrafa de 20 anos, Anna Grigorievna Snitkina. Anna tornou-se a sua segunda esposa em 1867 e trouxe relativa paz aos restantes anos da sua vida. Tiveram quatro filhos juntos. A primeira esposa de Dostoiévski, Maria Dmitrievna Isaeva, sofreu de tuberculose e morreu em 1864. Dostoiévski era um improvisador talentoso e um orador inspirado: o seu famoso “Discurso de Pushkin”, de 1880, provocou no público algo semelhante à histeria em massa, reconciliando momentaneamente facções de eslavófilos e ocidentalizantes. Quando morreu após uma crise epiléptica em 1881, mais de 40.000 pessoas compareceram ao seu funeral."

Texto traduzido e adaptado de Columbia College

Romances​​​​​​​, novelas e contos publicados em Portugal pelas editoras Presença e Relógio D'Água

· Gente Pobre (1846)

· O Duplo (1846)

· Noites Brancas (1848)

· O Ladrão Honesto e Outras Histórias (1848)

· Coração Fraco e Outras Histórias (1848)

· A Aldeia de Stepantchikovo e os seus Habitantes (1859)

· Humilhados e Ofendidos (1861)

· Cadernos da Casa Morta (1862)

· Notas de Inverno sobre as impressões de verão (1862)

· A Submissa e Outras Histórias (1862)

· Memórias do Subsolo (1864)

· Cadernos do Subterrâneo (1864)

· Crime e Castigo (1866)

· O Jogador (1866)

· O Idiota (1869)

· O Eterno Marido (1870)

· Os Demónios (1872)

· O Adolescente (1875)

· Os Irmãos Karamázov​​​​​​​ (1880)



Posts Relacionados

Ver tudo
alla_logo_positivo_negativo.jpg